18 de nov de 2009

A RODA REDONDA


No campo da Segurança Pública muitas vezes perdemos um tempo precioso em experiências que buscam inventar uma roda.
A estratégia normalmente usada é a da tentativa, erro e acerto. O preço pago: vidas humanas.
Em setembro de 19994, a PMERJ editou um Caderno de Instrução que, de forma Acadêmica, tratava sobre “Polícia, Violência e Direitos Humanos”.
O Comandante Geral e Secretário de Estado de Policia Militar era o Sr Coronel Carlos Magno Nazareth Cerqueira. Dentre os títulos deste caderno foi abordado de forma clara e objetiva o tema “Política de Segurança”.
Disse o Secretário:
“Todos sabemos que as perspectivas para reversão do quadro não são animadoras, mesmo porque o medo de violência e a ansiedade fazem com que se deseje uma solução rápida, de curto prazo para o problema; já!...Com essa visão a tendência é cair na armadilha lógica do uso da violência legítima: mais armas, mais policiais, mais metralhadoras para a polícia, mais cadeias, penas mais rígidas, pena de morte, prisão perpétua, “paredão”. E a espiral vai crescendo, com o efeito bumerangue indesejável que só não vê quem não quer.
A questão da violência – que é um fenômeno de conotações extremamente emocionais; há, pois, que ser enfrentada pelos entes organizados da sociedade de forma racional, não emocional. Caso contrário, vira vingança.”
Até quando ficaremos agindo cega e amadorescamente?
Até quando sacrificaremos a vida do nosso PM, patrimônio e alma de nossa Corporação?
Até quando deixaremos que balas perdidas encontrem pessoas inocentes?
Até quando permitiremos que pessoas inescrupulosas transformem marginais da Lei em bons cidadãos vítimas da truculência policial?
Bem, a “roda já foi inventada” e é redonda, não precisamos reinventá-la, mas sim, abrir mão da vaidade e da vontade midiática de aparecer para operacionalizarmos o que já existe.
A grandeza do homem está em admitir seus erros e buscar soluções com humildade, mesmo que se utilizando, sem omitir, de idéias de outros para obter êxito.

ESTEVES – CEL RR.

3 comentários:

Anônimo disse...

Cel Esteves,
Minha continência. Coronel, fiquei super feliz de ter falado com o Senhor por telefone. Quando escuto a voz do Senhor, me lembro dos meus primeiros dias na Corporação, onde tive o prazer de o ter como meu Comandante. Por onde eu passo sempre lembro do Senhor, como exemplo de homem bom, humilde, honesto e acima de tudo, um amante da nossa PMERJ. Quando assisti a covardia de nossos políticos com o Senhor, fiquei desesperançoso com as mudanças e melhorias em nossa Instituição, pois estavamos perdendo ali uma gama de Coroneis fieis ao bem maior de nossa briosa, que é o Policial Militar. De uma coisa o SENHOR pode ter absoluta certeza: A minha maior decepção na Polícia Militar foi a forma que fizeram para a saída do Senhor da Corporação, entretanto, a melhor coisa que a PMERJ me propiciou, foi a felicidade de ter lhe conhecido e de tê-lo mesmo distante, como meu Amigo. Estou feliz de estar sendo comandado pelo Cel Cid, pelo o que demonstra, uma pessoa humilde e com uma linha de pensamento parecido com o Senhor.
Gostaria de continuar escrevendo, pois o Senhor é uma pessoa especial na minha vida profissional, mas como já me conhece, sou um pouco tímido de demonstrar em palavras, mas no meu coração o Senhor estará sempre presente. Obrigado pelo convite, e pode esperar que em breve estarei fazendo uma visita ao Senhor.
Mais uma vez MUITO OBRIGADO por tudo, meu COMANDANTE ontem, hoje e sempre, pois para mim, o Senhor será sempre meu COMANDANTE nº 01.
ASS: Sargento MEIRELES

Otacílio disse...

é Chefe, acho que vi essa fala antes (rsrsrrsrs), mas, não poderia ser diferente e muito menos ser poupado adjetivos (óbvio que os melhores) para o Senhor. O Meireles foi feliz em falar e lembrar da sua pessoa, o que acho que deveria ser feito todo dia e se possível, tornar público em BOL PM (quando nos devolverem esse direito). Abraços....

Sgt Meireles disse...

Meu amigo Otacilio,

Se falei algo que vc já havia dito, creio que foi uma coincidencia, mas tratando-se da pessoa do Cel Esteves, vamos encontrar várias escritas idênticas de elogios para uma pessoa tão diferenciada que é o nosso Coronel ESTEVES.
Por isso, independente das privações que são impostas, nunca deixarei de postar e tornar público o meu apreço pelo Senhor Comandante.
Um grande abraço Otacílio.
Um grande abraço Coronel.
Que Deus os abençoe!

Ass: Sgt Meireles.