12 de jan de 2008

O SONHO

A SAUDE

Muitas vezes nos dedicamos demais a algo e esquecemos que somos mortais, adoecemos.
Mas como podemos controlar a paixão que nos absorve a alma. É, um sonho que buscamos alcançar não tem preço. Será?
A nossa saúde é um preço justo pelo sonho?
É o único sonho?
É só nosso o sonho?
Só depende de nós?
São perguntas que povoam a mente quando percebemos que na busca de um sonho abandonamos outros tão importantes quanto e, não raras vezes, negligenciamos com nossa saúde.
Deixamos de abraçar, de beijar, um parêntese, como é bom um abraço e um beijo em quem gostamos, é um bálsamo, um santo remédio capaz muitas vezes de curar vários males, principalmente o da solidão.
Voltando, deixamos de viver em busca de algo que não é nosso, pelo menos não só nosso, enquanto outros permanecem a espera do resultado ou do progresso da jornada para incorporar às fileiras na busca de notoriedade.
É mistér sabermos o quanto podemos deixar sermos usados, permitir que acreditem que nos manipulam, mas que também saibam que não são nossos donos, termos as rédeas, o controle de nós mesmos.
Um sonho pode ser só um sonho ou a mola propulsora de nossa vida, depende de nós, assim como sonhar outros sonhos para que permitamos que a nossa vida siga adiante.
CORONEL ESTEVES - BARBONO

Um comentário:

Coronel Paulo Ricardo Paúl disse...

Caro Irmão Esteves:
Bom dia e saúde, muita saúde.
Atualmente acredito que estamos em uma fronteira.
Um linha muito tênue que separa o sonho para realidade.
Temos caminhado juntos ao longo desse sonho e tenho certeza que estaremos juntos na sua concretização.
Uma Polícia Militar respeitada, cidadã, reconhecida, digna e competente.
Uma Polícia Militar senhora dos seus destinos, apartada dos interesses políticos e tendo o Policial Militar e o Cidadão como destinatários de suas decisões e ações.
É tempo de mudar.
Mudar é imperioso.
Juntos somos fortes!
Fraternalmente.
O irmão Paúl.
PS - Vamos encher a AME-RJ!