8 de dez de 2007

NEOLOGISMO

FORMIGÂNCIA
Meus amigos hão de dizer:
“Ih! Colou as placas. Queimou o HD” ou ainda “agora a burrice tomou todo o cérebro”.
Bem, quanto as duas primeiras suposições afianço que não ocorreu. Já a terceira, não é difícil.
Mas vejamos, consoante com a última postagem, resolvi admirar a obra maravilhosa que é a natureza e fiquei a observar as formigas. Sociedade interessante.
De imediato, inevitável, comparei com a Policia Militar e o nosso Estado.
As formigas se organizam por castas e cada uma tem sua missão específica, só contrariada para preservar a rainha, a sociedade como um todo ou sua própria existência, esta em terceiro plano.
As soldados vivem e morrem para defender seu formigueiro e sua rainha, ja as operárias labutam para prover o alimento e a estrutura do formigueiro e por conseqüência de sua sociedade. Interessante não.
Mas, se pararem para observar, tantos as soldados, operárias e mesmo as escravas existentes em alguns formigueiros, são providas de suas dignidades dentro da sociedade, são respeitadas, caso contrário despojam-se de suas vidas em prol da manutenção de sua honra, sim, pois entre elas existe um código de honra a ser mantido.
Que inveja, não?
Sim, como seria gratificante saber que nossos lideres respeitam e dignificam, dentro de cada especificidade, seus colaboradores, seus subordinados, provendo-lhes o mínimo direito à existência em família, dando-lhes condições de trabalho e salários capazes de lhes prover as necessidades básicas.
Como seria belo se nosso povo aprendesse que dignidade cabe a todos e devemos da única forma possível, o exemplo, mudarmos de vez o que se descortina perante aos olhos do mundo. A representação do nosso povo, aos demais é de corrupção, preguiça, desleixo, prostituição etc. É isso que queremos como imagem? É isso que deixaremos como herança?
Convido a todos e em especial àqueles que nos lideram ou pretendem fazê-lo, a observar e aprender, o que é bom, com a natureza.
Conclamo a juntos bradarmos pela dignidade esquecida.

CORONEL ESTEVES - BARBONO

Um comentário:

Coronel Paulo Ricardo Paúl disse...

Caro Irmão Esteves:
Boa noite!
Mais uma vez, dei sorte, e achei o seu blog aberto.
Li os textos que ainda não tinha tido a oportunidade.
Você escreve de forma brilhante.
Novamente, clamo pela liberação do blog.
Fraternalmente.
Paúl.