2 de dez de 2007

O CAOS

APOCALÍPTICO

Talvez, sem demagogia, a Policia Militar viva hoje um momento crucial de sua história.
Por quê?
Deterioram-se rapidamente todos os valores éticos e morais de seus integrantes, suas dignidades estão, graças aos governantes, no mais baixo patamar, com suas auto-estimas tendentes a zero.
Então, surge à esperança.
E mais uma vez a questão. Por quê?
A Bíblia nos ensina que não há caos que a humanidade não possa por ordem. A Policia Militar, hoje e há muito, vive um caos astral.
Mas toda ciência que trata da estrutura do Universo diz que o mesmo vem de um caos generativo, logo para nós policiais-militares, há esperança.
É verdade que por diversas vezes me sinto um proscrito social, sem brilho e sem expectativas de melhoras, momentos estes em que a desilusão e a depressão recaem sobre minh’alma.
Mas, profeticamente digo que:
O “big-ben” da Policia Militar esta próximo, não sei se estarei inserto no processo que precederá e que propiciará a eclosão social pela dignidade, todavia acredito que os exordiais passos foram dados pelo Grupo dos Barbonos.
Acredito realmente que esteja bem próximo, assim também como certo estou que baixas ocorrerão, em decorrência do embate.
É inevitável.
A Sociedade fluminense necessita que seu aparelho policial esteja harmônico e em equilíbrio, o que hoje não ocorre devido ao descaso dos governantes que por aqui passaram e de forma indissipável deixaram suas nefastas marcas, deteriorando o decoro pessoal de cada integrante da corporação.
Razão esta que levará a uma luta desigual, onde alguns serão sacrificados em prol do coletivo, para que então a sociedade acorde e se aperceba da necessidade de acoplar-se à luta em sua própria defesa.
Será o principio do resgate da dignidade e da real cidadania do policial-militar e, por conseqüência, da Policia Militar do estado do Rio de Janeiro. Onde com toda certeza a grande beneficiária será a sociedade fluminense que terá uma força policial a sua altura.
Antevejo e ocorrerá.

CORONEL ESTEVES - BARBONO

Um comentário:

Coronel Paulo Ricardo Paúl disse...

Irmão Esteves:
Eu sou muito obediente.
Você deve imaginar a força que estou fazendo para não copiar e colar os seus artigos.
Fraternalmente.
Paúl