23 de dez de 2007

RESISTÊNCIA

A RESISTÊNCIA

Existem várias tipos de resistências. Umas decorrem da oposição ao que se quer fazer, outras do medo da conseqüência e da novidade e há ainda as que ocorrem devido a discordância dos meios com o que se quer fazer, ou seja, um grupo , de repente de nove, concorda que algo tem que ser feito, comungam com o mesmo objetivo a ser alcançado, todavia discordam da maneira a se utilizar para alcançar aquele fim.
Não por medo, precaução ou outro adjetivo similar, mas, como cada ser é um universo, acreditam per si, que mesmo de forma contundente, o meio para se alcançar o fim deve ser outro.
Por serem homens de bem e inteligentes, todos acham que a sua é a melhor ou mais apropriada fórmula.
É publico e notório que, em grupos de seres humanos existe divergências, há que se destacar um líder espontâneo, cuja liderança seja de forma tão evidente e inquestionável, que os demais, mesmo não concordando com os atos, os executem na busca do bem comum.
Como fazê-lo entre líderes, entre iguais. Enquanto este não surge, o consenso lidera, a maioria decide, razão muitas vezes do silencio, não da inércia, essa não existe, os trabalhos continuam acontecendo, de forma discreta e silenciosa.
A luta continua, pois JUNTOS SOMOS FORTES.
CORONEL ESTEVES - BARBONO

2 comentários:

Coronel Paulo Ricardo Paúl disse...

JUNTOS SOMOS FORTES!

Coronel Paulo Ricardo Paúl disse...

Irmão Esteves:
O simples fato de conseguirmos resistir às injustiças, constitui o primeiro passo para que possamos reverter uma realidade injusta!
Juntos somos fortes!
O Dia é hoje!